+55 11 3939-0480

atendimento@enginebr.com.br

Os 4 pontos principais de uma indústria de alimentos tecnológica

Compartilhe este post:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

A demanda mundial por alimentos atingirá um novo pico na próxima década, trazendo desafios urgentes para a indústria de alimentos. A pandemia do novo Corona vírus também impôs profundas mudanças no segmento, e de um dia para o outro o setor precisou se reinventar e se adequar a um momento tão difícil e emblemático. O consumidor, por sua vez, exige saudabilidade e segurança alimentar, além de soluções individualizadas.

A transformação digital é, sem dúvidas, o caminho que a indústria de alimentos deve percorrer para dar conta de tantos desafios urgentes. O mundo mudou, o consumidor mudou, a indústria de alimentos também precisa mudar, assumindo-se como uma indústria de alimentos tecnológica. A digitalização, no entanto, vai muito além da automação de processos, como você poderá saber agora, neste conteúdo sobre os 4 pontos principais de uma indústria de alimentos tecnológica que nossos especialistas preparam para você.

Por que a indústria de alimentos tem um compromisso inadiável com a transformação digital?

A indústria de alimentos tem um compromisso inadiável com a sustentabilidade, com a saudabilidade e com a segurança alimentar. Trata-se de uma realidade do nosso tempo, e é a própria sociedade quem cobra isso. Assim, a indústria de alimentos tecnológica também tem um compromisso, igualmente inadiável, com a transformação digital.

É por meio da transformação digital que a indústria poderá responder a todos os desafios que o momento lhe impõe. A digitalização do setor já vem ocorrendo paulatinamente há três décadas, com o surgimento de aplicativos móveis, automação de processos e Big Data, entre outras inovações. Mas esse processo tem se intensificado de uma forma muito robusta de dez anos para cá, é um caminho sem volta. Simplesmente não é possível atender aos anseios do consumidor, às necessidades do mercado e ao próprio desafio de produzir alimentação para um mundo cada vez mais populoso sem uma indústria de alimentos tecnológica, ou seja, digitalmente transformada.

As vantagens da indústria de alimentos tecnológica

Mas por que você deve considerar transformar sua empresa em uma indústria de alimentos tecnológica? Separamos as maiores vantagens desse modelo de negócio:

  • Redução significativa de custos;
  • Aumento da produtividade;
  • Redução do desperdício;
  • Identificação just-in-time de erros e inconsistências antes mesmo que elas provoquem prejuízos;
  • Por meio da análise de dados e da Inteligência Artificial (IA) é possível aprimorar – e muito – as experiências do cliente;
  • Maior flexibilidade, por meio de uma gestão de riscos muito mais apurada e soluções possíveis de se tomar de forma mais rápida e assertiva;
  • Mais segurança no trabalho para os colaboradores da indústria;
  • Maior segurança alimentar.

Os 4 pontos principais da indústria de alimentos tecnológica

Quando se fala em uma indústria de alimentos tecnológica, é natural que se pense nos robôs que automatizam processos. É verdade que há fabulosos investimentos em automatização, que traz operações muito mais produtivas e, principalmente, alta precisão, o que é fundamental para o segmento. A JBS, por exemplo, tem investido muito na robotização do corte da carne, ganhando performance e reduzindo drasticamente o número de acidentes de trabalho na sua linha de produção.

Há investimentos em tecnologia de voz, chatbots, quiosques de autoatendimento, dispositivos portáteis de pedidos, aplicativos personalizados para celular e nos mais variados sistemas. Há, também, muita inovação nos sistemas de pedidos online, sistema de entrega de alimentos, softwares de gerenciamento de estoque e sistema s de gestão de restaurantes. A entrega de refeições por meio de drones é uma realidade muito próxima de acontecer, por exemplo. Segundo a startup vietnamita Adamo Digital, o mercado de aplicação de tecnologia na indústria de alimentos deve ultrapassar a casa dos US$ 250 bilhões até o final de 2022.

Mas a indústria de alimentos tecnológica tem outros compromissos, além da automação. A transformação digital deve acontecer para atender quatro pontos principais.

1 – Saudabilidade

Não há dúvidas de que entre tantos outros compromissos da indústria de alimentos, o mais relevante é a busca incessante pela saudabilidade. Essa é uma exigência do próprio consumidor, que hoje é muito mais consciente e exige produtos mais saudáveis e nutritivos. A pandemia do novo Corona vírus inclusive acelerou esse processo pelo qual o setor passa. A conscientização de que uma alimentação saudável traz mais imunidade tem provocado mudanças de comportamento dos consumidores e, por tabela, dos fabricantes também.

A indústria de alimentos tecnológica utiliza a automação de processos a favor da própria produção. Há uma preocupação ainda maior com a higiene dos processos, com a embalagem dos produtos, com o armazenamento e a distribuição, mas a novidade é a rastreabilidade que a transformação digital proporciona: é possível identificar em toda a cadeia falhas e inconsistências just-in-time. 

Não se trata apenas da escolha por ingredientes mais saudáveis. A saudabilidade é perseguida na oferta do alimento, mas em todo o seu processo também, da colheita de uma matéria-prima até a venda ao consumidor final. 

2 – Mais eficiência

A digitalização e a automação trazem redução de desperdício e de custos, além de mais produtividade. Uma indústria de alimentos tecnológica mais eficiente permite uma produção de alimentos maior, o que é vital para que a demanda mundial por alimentos seja prontamente atendida. Em suma, é possível produzir mais!

3 – Sustentabilidade

Os impactos da transformação digital da indústria de alimentos tecnológica são positivos para o meio-ambiente. A sustentabilidade é constantemente perseguida, com redução do desperdício de energia e alimentos. Mudanças climáticas, por exemplo, podem provocar prejuízos financeiros gigantescos à indústria de alimentos, portanto atuar de forma responsável quando se fala em meio-ambiente é proteger o próprio setor.

4 – Tecnologia

A tecnologia existe para servir o homem, beneficiando-o. A produção em massa exige uma rede de varejo alimentar muito mais forte, com respostas imediatas, pronta para atender a demanda. A tecnologia fortalece a indústria de alimentos, e oferece meios para alcançar seus objetivos.

A Engine está pronta para transformar sua empresa em uma indústria de alimentos tecnológica

A indústria de alimentos vive uma verdadeira revolução por meio de sua transformação digital. A Engine é uma consultoria de gestão empresarial, parceira SAP, especializada em soluções que aliam tecnologia, negócio e inovação para transformar seus clientes em empresas inteligentes, utilizando práticas de gestão de classe mundial que possibilitam melhor maturidade em gestão, competitividade e governança. Portanto, entendemos profundamente sobre revoluções!

Há 25 anos promovemos a transformação digital de inúmeras empresas, com expertise na indústria de alimentos. Conhecemos profundamente o segmento, suas dores e necessidades. A Engine é precursora no Brasil de oferta de sistemas de gestão, investe muito em pesquisa e desenvolvimento e certamente conta com as melhores soluções para a transformação digital da sua indústria de alimentos, transformando-a em uma indústria de alimentos tecnológica. Fale com um de nossos especialistas já!

Veja também