+55 11 3939-0480

atendimento@enginebr.com.br

A indústria de alimentos 4.0: o que muda?

Compartilhe este post:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Na chamada indústria 4.0 – a quarta revolução industrial que já estamos vivendo -, a indústria de alimentos 4.0 entrega para os robôs a decisão de iniciar, parar, acelerar ou reduzir a produção, em nome da produtividade, do combate ao desperdício e dos lucros maiores e sustentáveis.  Isso significa que os processos e as máquinas são mais inteligentes e autônomas, e todos tiramos proveito disso. 

Mas o que muda na indústria de alimentos 4.0? Quais são os efeitos da indústria 4.0 sobre o setor de alimentos, seus desafios e seus ganhos? Como a indústria 4.0 impacta na indústria de alimentos? Mais do que isso, o que muda com a transformação digital da indústria de alimentos?

A indústria de alimentos vive desafios gigantescos e globais, que vão muito além da pandemia do novo coronavírus. A segurança dos alimentos, por exemplo, já está em questão há muito tempo, e é uma exigência cada vez mais forte de um novo consumidor, que não abre mão da qualidade, da segurança e da saúde do alimento. Como a indústria de alimentos 4.0 está lidando com essa realidade? É o que respondemos a seguir!

O que é indústria 4.0?

No século XVIII, o mundo experimentou a primeira revolução industrial, com a invenção da máquina a vapor. A produção se multiplicou e mudou o mundo, até a segunda revolução, em 1879, com a substituição do vapor pela energia elétrica. Os avanços foram ainda maiores, até a chegada da chamada terceira revolução industrial, que veio após a Segunda Guerra Mundial, com o uso de componentes eletrônicos nas máquinas e redução da participação humana na produção.

Já vivemos, no entanto, a quarta revolução industrial, chamada simplesmente de indústria 4.0, onde tudo se conecta e a internet permite processos ainda mais eficientes e autônomos, alterando significativamente a escala de produção e a produtividade das empresas. Tudo é feito e analisado em tempo real, e as empresas adotam soluções tecnológicas que otimizam os processos e geram mais lucros.

É na indústria 4.0 que vamos popularizar recursos como Inteligência Artificial (IA), Big Data e Internet das Coisas (IoT), entre outros, a serviço de mudanças profundas na forma de produzir e de consumir também.

Como a indústria 4.0 impacta a indústria de alimentos?

A evolução da indústria de alimentos é uma realidade, e se intensifica cada vez mais. O controle total e automatizado dos processos trazem economia, melhores resultados, maior produtividade, aumenta a segurança e reduz o desperdício, promovendo uma verdadeira revolução no setor. 

A possibilidade de mapear todo o processo, de forma detalhada, automatizada e em tempo real, permite enfrentar melhor questões que vão da quebra de safras (por meio de elos com toda a cadeia produtiva) e alterações de requisitos de segurança alimentar, passando pela mudança do próprio público consumidor.

Os equipamentos e processos da indústria 4.0 identificam limites críticos e são capazes de promover correções sem a necessidade de intervenção humana, e isso é um diferencial único! Segundo um levantamento da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), o uso dos conceitos da indústria 4.0 podem trazer, de imediato, uma economia de R$ 73 bilhões ao ano para o Brasil, e é claro que a indústria de alimentos está inserida neste contexto.

O que muda com a transformação digital da indústria de alimentos?

A indústria 4.0 traz um sem número de benefícios para a indústria de alimentos, principalmente na produtividade das empresas, no combate ao desperdício, na automação dos processos, na lucratividade, mas também em questões relacionadas à segurança dos alimentos e até mesmo entregando as respostas que o consumidor exige. 

Esse novo consumidor quer qualidade, saúde, sustentabilidade e ser atendido de forma individualizada, com acesso a soluções pensadas para ele. A indústria 4.0 traz para a indústria alimentícia:

  • Redução eminente de custos, com operações sem falhas e sem desperdícios (ou com níveis mínimos de);
  • Criação de novas profissões e melhor qualificação dos colaboradores;
  • Empresas mais inteligentes, que se utilizam de dados profundos e em tempo real para analisarem seus processos cotidianamente;
  • Intensificação de processos de rastreabilidade, trazendo maior segurança aos produtos. 
  • Maior monitoramento e manutenção remota de equipamentos. Falhas cada vez menores e sem afetar a produção;
  • Possibilidade de personalização e customização dos produtos, como tanto quer o consumidor moderno.

Quais são os novos desafios da indústria de alimentos 4.0?

A indústria de alimentos enfrenta desafios urgentes, e isso já é uma realidade. O futuro, no setor, já chegou. Um dos grandes desafios é atender ao crescente mercado consumidor global: projeções da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) indicam que será preciso produzir 70% mais alimentos e bebidas para atender a população mundial em 2050. 

Outro desafio urgente, que vem batendo à porta da indústria de alimentos já há algum tempo, é atender aos anseios de um novo consumidor, que exige mais qualidade e segurança dos alimentos, mais saúde e, ainda, mais sustentabilidade. O desperdício também está na pauta de desafios, e segundo a Associação Brasileira da Indústria de Alimentos (ABIA), nada menos do que 66% do desperdício total da cadeia ocorre entre a produção e o varejo!

A indústria de alimentos 4.0 tem seus desafios próprios. O principal deles, claro, é que as empresas precisam estar preparadas para essa revolução, e a transformação digital é o caminho natural que se deve seguir.  Capacitar as equipes para essa realidade também é um grande desafio a ser vencido – é a expertise do ser humano somado ao alcance dos softwares que permitem à indústria 4.0 acontecer de fato e trazer os resultados esperados.

Os especialistas dizem que a adesão à indústria 4.0 depende muito menos da compra de tecnologia de ponta e muito mais de uma postura das empresas neste sentido. Buscar a digitalização dos processos, investir na automação, em processos inteligentes e envolver toda a equipe, capacitando-a para tal, é o grande desafio que o setor enfrenta no mundo inteiro, e em especial no Brasil.

O que a Engine pode fazer para transformar sua empresa em uma indústria 4.0?

A Engine tem expertise em indústria de alimentos, a qual se dedica há mais de 25 anos. Temos participado da transformação digital de inúmeras empresas do setor, em todo o país, por meio de soluções de gestão empresarial de classe mundial, estabelecendo processos seguros, sustentáveis e que oferecem informações ágeis entre as áreas estratégicas do negócio para a tomada de decisões.

Nossas soluções são voltadas para a produtividade, para melhores resultados e para a segurança na indústria de alimentos. Somos, por exemplo, especialistas em sistemas ERP SAP para a indústria de alimentos 4.0, e já participamos de dezenas de implantações em empresas do setor. Além de soluções de software de gestão especialistas, oferecemos ERP SAP para a indústria de alimentos. Fale agora com um de nossos especialistas e saiba o que podemos fazer para transformar digitalmente sua empresa!

Veja também