+55 11 3939-0480

atendimento@enginebr.com.br

Quem disse que SAP é complicado?

Compartilhe este post:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

labirinto-setaBLOGPor Franklin Lima

Quando o assunto é gestão empresarial, uma das frases mais comentadas no mercado é: SAP é muito complexo e complicado. Será? Antes de tomar como verdadeiras as afirmações, devemos fazer alguns questionamentos. Como, por exemplo, a quem devemos chamar de mercado? E o que o leva a dizer isso?

Quem constitui o mercado são: os parceiros de negócios SAP, os consultores, as bases instaladas e, principalmente, os concorrentes. E colocar as soluções SAP como complicadas tem um único propósito: estabelecer um cronograma extenso, uma implementação recheada de gaps, aportar na implementação horas e mais horas de customizações, recriar o que já vem standard (muitas vezes por falta de conhecimento), e, por fim, encarecer o projeto, tornando inviável o investimento.

Neste contexto, cada interessado tem os seus objetivos:

  • Parceiros de negócios SAP – são as consultorias tradicionais, que têm suas rentabilidades totalmente baseadas nos serviços e não nas licenças. Através de serviços longos (taxímetro ligado dos consultores), margem de risco elevadíssima, análises de gaps, customizações e BBPs (Business Blueprint), cada projeto se torna uma fortuna;
  • Consultores SAP – o valor hora homem (HH) administrado pelos consultores SAP vem, sem dúvida nenhuma, inflacionando o mercado. Estes consultores se apoiam em projetos longos e complicados, vendidos pelos parceiros de negócios da SAP. Os antigos consultores das soluções SAP também ganham com projetos mais longos, que são extremamente mais caros;
  • Bases instaladas – que sofreram com implementações complexas, demoradas e custosas, costumam dar depoimentos negativos;
  • Concorrentes – se apoiam em cada ponto explicado acima para demonstrar aos clientes que o SAP é muito complicado, caro e não cabe no bolso das empresas. Fazem um comparativo com aquilo que estão apresentando e ofertando, com o intuito de ganhar a concorrência.

Na contramão do que diz o mercado, no final de 2014, a Gartner colocou a SAP novamente na liderança de seu quadrante mágico (Magic Quadrant for Single-Instance ERP for Product-Centric Midmarket Companies), com a solução SAP Business All in One. Para quem não conhece, o quadrante mágico é o resultado de pesquisas em um mercado específico, que proporciona uma visão das posições relativas dos concorrentes do mercado. A SAP vem repetindo essa façanha há quatro anos consecutivos. Não pode ser por acaso!

“Este reconhecimento contínuo demonstra nossa capacidade de executar um roteiro evolutivo e inovador, gerando avançadas soluções que ajudam as empresas do mercado médio a operar de forma mais simples e eficiente”, declarou na ocasião Booby Vetter, vice-presidente sênior da gestão do portfólio de soluções ERP operações globais, sobre mais esta conquista.

A SAP tem foco total nas necessidades de seus clientes, com atendimento em processos verticalizados (segmentos de mercados), trazendo inovações, mobilidade e acesso facilitado na nova ordem de mercado, que é a Cloud Computing. Isso explica o bom desempenho.

A Engine, por sua vez, vem revolucionando o mercado nacional, pois realizou implementações da solução SAP totalmente standard, ou seja, sem grandes e inúmeras customizações, atendendo a empresas de pequeno, médio e grande porte. Isso é possível graças a uma metodologia de implementação arrojada e totalmente inovadora, que se provou vencedora uma vez que trouxe simplicidade, agilidade na entrega, personalização através de modelos pré-estabelecidos e de alto grau de atendimento, e, principalmente, FLEXIBILIDADE.

Demonstramos que, para ser flexível, não é necessário criar processos pirotécnicos de atendimentos, com altos graus de customizações. Basta apenas ter pleno conhecimento das necessidades das empresas, aliado a um projeto bem descrito e conhecido pelo cliente, que aprova os entregáveis em fase de análise e contrato. Além disso, utilizamos as melhores práticas de mercado em conjunto com os processos existentes no sistema SAP. Esses processos vêm sendo aprimorados diariamente pela empresa, que investe pesado em Pesquisa e Desenvolvimento (P&D), proporcionando um alto atendimento em, aproximadamente, 25 segmentos de mercados distintos.

O modelo SAP SaaS (Software as a Service) da Engine traz em sua essência o que há de mais moderno em gestão empresarial, somado a soluções satélites, um modelo inovador de implementação e principalmente, um modelo financeiro irrecusável. Por tudo isso, adotamos o seguinte slogan para 2015: SAP Simples Assim!

Franklin Lima é diretor de Atendimento da Engine

Veja também