+55 11 3939-0480

atendimento@enginebr.com.br

Por que usar computação em Nuvem na Indústria 4.0?

Compartilhe este post:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

A atividade industrial, naturalmente, produz e consome muitos dados. Com a implementação do conceito da indústria 4.0, então, a tendência é de que cada vez mais os processos industriais necessitem e gerem mais informações. Armazenar, processar, distribuir corretamente e assegurar essa quantidade de dados não é tarefa fácil de ser feita sem o auxílio da tecnologia em Nuvem.

A computação em Nuvem permite que as indústrias imprimam muito mais funcionalidades no seu dia a dia. Por exemplo, na fabricação de uma peça, as máquinas precisam de informações de comando, como quantidade, modelo, material utilizado e etc. Ao mesmo tempo, elas produzem informações do seu desempenho, quantidade de peças produzidas, entre outras. Para um funcionário fazer a gestão deste processo, com computação em Nuvem, ele apenas precisa ter acesso ao software que recebe as informações do provedor.

Na indústria, a computação em Nnuvem também se destaca por permitir a descentralização da informação. Cada profissional que atua em uma fábrica pode ter as informações necessárias para executar seu trabalho, mesmo que estas sejam provenientes de outra planta, de forma rápida e organizada. Além disso, por meio de acessos restritos, é possível segmentar quem tem acesso ao que.

Basicamente, a computação em Nuvem, ou Cloud Computing, auxilia as indústrias a se adequarem ao conceito de indústria 4.0 ao passo que fornece infraestrutura para simplificar processos, agilizar a comunicação e fornecer dados em tempo real.  O que se deve prestar mais atenção na aplicação do Cloud à indústria são os requisitos de segurança da informação e garantia de sua transmissão. A tecnologia implementa os recursos fundamentais para a indústria 4.0.

O que é Nuvem?

Muito se fala sobre Nuvem, ou Cloud, hoje em dia. Não é por acaso, afinal, em tempos de transformação digital, praticamente tudo o que fazemos está conectado a essa tecnologia, desde simples tarefas cotidianas, como o acesso a um arquivo armazenado no e-mail, até os mais complexos processos de automação industrial, como a gestão de produção via ERP.

De forma simplificada, a Nuvem é uma das tecnologias mais importantes por trás da internet. Todos os dados armazenados online, e que podem ser acessados de qualquer lugar, estão em um servidor virtual, assim como os sistemas que funcionam no formato SaaS. Ou seja, programas que não precisam ser instalados na máquina pois rodam diretamente da internet.

O papel da computação em Nuvem não se limita somente a armazenar informações, ela também possibilita a análise de dados, o acesso a conteúdos e a distribuição de informações. Graças a essa tecnologia, hoje, é possível controlar máquinas, programar rotinas operacionais e gerenciar toda a linha de produção remotamente por meio de sensores e dispositivos inteligentes e, é claro, acesso à internet. Com isso, o setor industrial pôde dar um novo passo e evoluir para a sua quarta revolução.

O que é Indústria 4.0?

É o formato atual no qual a indústria se encontra devido aos fortes impactos da transformação digital, nos remetendo a um perfil futurista, no qual a intervenção humana é cada vez menos presente nos processos de produção devido à implementação de novas tecnologias, tanto nos níveis operacionais quanto nos gerenciais.

Um dos aspectos mais marcantes da Indústria 4.0 é que o tempo e a energia dos colaboradores humanos não são desperdiçados com tarefas que podem ser automatizadas, o que permite que eles foquem na supervisão dos processos e no desempenho das máquinas.

Entre as características que melhor definem a Indústria 4.0, podemos citar:

  • Uso de sensores para monitorar remotamente todos os processos do chão de fábrica;
  • Agilidade na tomada de decisões por meio da captação e tratamento de dados em tempo real;
  • Máquinas interconectadas via Nuvem recebendo comandos e fornecendo dados sobre o ciclo de trabalho;
  • Produções com base nas demandas;
  • Flexibilidade para modificações da infraestrutura e atividades das máquinas por acoplamento e desacoplamento de módulos industriais.

Um dos braços da Indústria 4.0 é a Internet of Things (IoT), uma tecnologia que permite que diferentes tipos de equipamentos sejam integrados a uma única rede na Nuvem e possam ser controlados remotamente.

Por que usar serviços de computação em Nuvem na Indústria 4.0?

Uma das premissas da Indústria 4.0 é aumentar a produtividade sem que a qualidade final da produção seja comprometida, e é neste ponto que a computação em Nuvem se mostra indispensável. Veja a seguir os motivos pelos quais é importante atualizar os processos da empresa e implementar sistemas baseados em Nuvem na indústria.

Assine nossa newsletter e fique por dentro de novidades sobre a Nuvem e a Indústria 4.0.

Agiliza e facilita o compartilhamento de dados

Cloud Computing, como a computação em Nuvem também é conhecida, não é um ambiente físico, o que permite que vários profissionais da organização possam acessar os mesmos arquivos de diferentes locais, desde que sejam autorizados, é claro.

No contexto de uma indústria, isso promove muito mais agilidade, visto que a Nuvem permite que os colaboradores interajam com os dados armazenados nos servidores virtuais em tempo real. Dessa forma, é possível fazer a integração entre os departamentos da empresa e otimizar a comunicação.

Reduz custos

Como foi dito anteriormente, existem ERPs que rodam diretamente de servidores online (SaaS), dispensando a necessidade de instalação na máquina física. Assim, uma série de gastos são eliminados da operação, como softwares, hardwares, centro de dados, computadores robustos em termos de processamento e armazenamento, eletricidade, entre outros.


O fato é que a computação em Nuvem faz com que todo esse sistema seja virtualizado. Além disso, essa tecnologia permite o acompanhamento, a análise e a modificação dos dados, assim como a programação de serviços, máquinas ou arquivos que estejam conectados à rede. Com o fácil e rápido acesso às informações, é possível projetar cenários futuros com base em probabilidade e antecipar problemas, números e prejuízos. ajuda a enxugar custos e eliminar gastos.

Otimiza o monitoramento e a mobilidade

Ainda que nenhum profissional esteja observando fisicamente de perto, é possível ter total controle sobre as operações e acompanhar as demandas em tempo real com o uso da Nuvem na indústria.

Isso permite que a equipe faça um aproveitamento muito melhor dos insights, o que também impacta positivamente na tomada de decisões, já que a gerência passa a ter acesso a dados que permitem observar analiticamente o desempenho da empresa, de forma muito mais flexível e eficiente.

Melhora o desempenho

Softwares desenvolvidos para atender às necessidades do setor industrial e que funcionam a partir da computação em Nuvem, por si só, são munidos com todos os recursos que a empresa precisa para potencializar o ritmo da produção, reduzir desperdícios e elevar os resultados.

Mas, uma solução tecnológica inovadora, como o ERP da Engine, permite que novos módulos sejam instalados à medida que as demandas crescem e novas necessidades surgem nos processos de produção, aumentando significativamente o desempenho e a produtividade.

Proporciona escalabilidade

Por fim, uma das maiores vantagens que a Nuvem proporciona à Indústria 4.0 é a capacidade de redimensionamento. Diferente de como era antigamente, o chão de fábrica pode ser modificado de maneira ágil e sem perda de desempenho, conforme o ritmo da operação.

O mesmo se aplica ao tamanho do servidor e aos serviços de computação em Nuvem utilizados na empresa. A organização paga somente pelo que utiliza, nem um centavo a mais ou a menos.


Este conteúdo sobre por que usar serviços de Nuvem na Indústria 4.0 foi útil para você? Então não deixe de conferir também o nosso post sobre quais são as principais diferenças entre ERP em Nuvem e ERP local

Veja também