+55 11 3939-0480

atendimento@enginebr.com.br

Como garantir a segurança de dados de um SaaS

Compartilhe este post:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Em tempos de alta competitividade no mercado, frequentemente as organizações enfrentam uma série de desafios para equilibrar a relação custo-benefício entre manter a produtividade constante e reduzir custos operacionais.

A tecnologia, nesse sentido, tem sido uma aliada essencial, visto que cerca de 94% das empresas utilizam a Cloud, se considerarmos que o processamento de dados abrange registros de transações e informações de clientes.

Dado o contexto, a segurança de dados se tornou uma pauta muito discutida no universo corporativo, especialmente por empresas que atuam em frentes ligadas à transformação digital e fazem uso de ferramentas modernas como um modelo SaaS.

Neste artigo mostraremos algumas boas práticas sobre como garantir a segurança de dados de um SaaS. Continue a leitura para conferir!

Quais os desafios do SaaS em relação à segurança de dados?

Se você já tem familiaridade com o SaaS, deve saber que suas aplicações movimentam e armazenam uma grande quantidade de informações confidenciais, como dados de contas particulares e cartões de crédito de clientes, e isso abre uma grande margem para questionamentos a respeito dos possíveis riscos à segurança dessa tecnologia.

Roubos por criminosos virtuais ou até mesmo vazamento de informações sigilosas por colaboradores mal intencionados são exemplos de vulnerabilidades que podem trazer grandes problemas para uma organização, desde consequências financeiras, até jurídicas e de imagem. Por isso, há uma grande preocupação para garantir a segurança das aplicações em SaaS e proteger os dados de clientes e da própria companhia.

Como garantir a segurança de um SaaS?

Embora os serviços de SaaS oferecidos pelas soluções da Engine sejam altamente seguros e eficientes, é imprescindível que a empresa adote boas práticas de uso dos softwares e políticas internas para garantir a segurança de um SaaS.

Veja a seguir alguns exemplos de medidas que devem ser adotadas pela companhia:

Estabeleça uma cultura de segurança na empresa

Uma das primeiras medidas a serem tomadas ao contratar um serviço de Cloud Computing, é estabelecer uma cultura de segurança na empresa. Em outras palavras, é preciso determinar os procedimentos padrões que serão adotados para garantir a segurança de dados na organização.

A gestão deve definir estruturas de controle para minimizar as possibilidades de ataques ou vazamentos, trazendo um ponto de referência para a validação e execução de conformidade. Basicamente, o aumento da segurança depende da implementação de  políticas internas sobre o uso das informações, além da instrução de boas práticas na execução de tarefas cotidianas que dependam da solução de SaaS adotada.

Escolha um provedor de serviços de SaaS de credibilidade

Em um modelo de SaaS, tanto o armazenamento quanto a execução dos softwares utilizados pela empresa ficam sob responsabilidade do provedor de serviços de Cloud contratado.

Isso significa que, para manter o controle operacional do projeto sem abrir mão da segurança de dados da companhia, é preciso se atentar a todos os perigos que possam surgir ao contratar e utilizar uma solução em ambiente virtual.

Para evitar riscos, o ideal é conhecer bem a empresa que oferecerá o plano de SaaS mais adequado às necessidades de seu negócio, verificando todos os meios que ela usa para garantir a proteção das informações. Certifique-se de optar por um provedor de SaaS com credibilidade no mercado e que seja capaz de oferecer uma solução em Nuvem altamente segura e funcional.

Gerencie os colaboradores

O fato de determinados profissionais terem acesso aos dados de clientes e do provedor de SaaS, faz com que seja necessário realizar o monitoramento constante das pessoas que têm esse tipo de permissão.

Sendo assim, é fundamental contar com um fornecedor de SaaS que disponibilize soluções que permitam a gestão e o controle de funções passíveis de autorização. Preze por uma alternativa que possibilite a personalização do acesso aos dados de forma diferente para cada colaborador.

O sistema de provisionamento deve permitir a gestão de identidades, ou seja, todo o acesso às informações corporativas precisa ser devidamente monitorado, apresentando relatórios precisos sobre uso dos dados, IDs e horários em que os processos foram realizados, entre outros aspectos pertinentes.

A empresa precisa ter informações claras sobre como sua equipe lida com dados de clientes, quando tiveram acesso a um determinado software ou hardware usado para transmitir, armazenar ou executar aplicações.

Use a criptografia de dados para proteger as informações

Entre os riscos que aumentam a vulnerabilidade de informações corporativas sigilosas estão as perdas de dados, vazamentos, alterações, roubos ou divulgações dos mesmos. Com isso, a necessidade de definir melhores técnicas para garantir a segurança se torna ainda mais evidente.

Dado o contexto, uma ferramenta que pode contribuir bastante nesse sentido é a criptografia das informações armazenadas e executadas na Cloud Computing. É fundamental que a empresa verifique com seu provedor de serviços em SaaS se há como codificar os dados e criptografá-los e quais as tecnologias disponíveis para isso.

Como já foi dito, as organizações também precisam definir quais profissionais da equipe terão acesso a determinados dados ou aplicações. Por exemplo, pode-se dividir as responsabilidades e determinar que certas informações só possam ser acessadas a partir de uma chave. Dessa forma, além de restringir os dados, o sistema registrará o que for feito por cada usuário.

Avalie as provisões de segurança para cada tipo de aplicação em Nuvem

A segurança das aplicações realizadas no ambiente da Cloud Computing — em tempos de transformação digital — é considerada tão importante quanto a segurança da infraestrutura física do empreendimento. Afinal, os danos aos quais as empresas estão suscetíveis, caso haja um problema relativo às informações sigilosas, podem trazer consigo prejuízos inestimáveis em termos financeiros e para a reputação da marca.

Dito isso, organizações que são muito dependentes do uso de tecnologias para realizar seus processos operacionais devem avaliar as provisões e políticas de segurança para cada tipo de aplicação em Nuvem:

Software as a Service (SaaS)

No modelo Software as a Service (SaaS), a maior parte das questões relacionadas à segurança de dados ficam sob responsabilidades da empresa que provê os serviços de Cloud Computing. Porém, o cliente também precisa estar em conformidade com as normas estabelecidas.

Infrastructure as a Service (IaaS)

Neste formato, é o contratante do serviço que se responsabiliza pela segurança tanto dos procedimentos de implementação de softwares quanto de práticas internas relativas ao uso de tecnologia para proteger as informações de seus clientes.

Plataform as a Service (PaaS)

Já no modelo PaaS, as responsabilidades ficam divididas entre o cliente e o provedor de serviços em Cloud. Enquanto o fornecedor tem o papel de garantir toda a infraestrutura e um sistema operacional eficiente, fica a critério do contratante as melhores formas de implementar a solução e aplicá-la em tarefas cotidianas.


Como você pôde contemplar neste artigo, garantir a segurança de dados de um SaaS é uma tarefa crucial diante de um cenário em que quantidades massivas de informações são geradas e armazenadas na Nuvem todos os dias. Também mostramos algumas medidas que podem ser adotadas pela empresa tanto na hora de contratar um provedor de serviços em Cloud quanto na implementação de eficientes medidas e políticas internas da companhia.

Este conteúdo informativo sobre como manter a segurança de dados em um modelo de SaaS foi útil para você? Então aproveite para assinar a newsletter da Engine BR e se manter por dentro das principais novidades sobre Cloud Computing, transformação digital e tecnologias voltadas para o setor industrial!

Veja também