Inteligência Artificial: 10 empresas que estão usando a tecnologia para impactar a descoberta de medicamentos

Inteligência Artificial

A Inteligência Artificial possibilitará a captura e análise de grandes quantidades de informações para auxiliar laboratórios no desenvolvimento de novos medicamentos ou aprimoramento de antigos. Mais: essa tecnologia tornará a indústria farmacêutica mais eficiente, da eliminação de falhas no encapsulamento a usos bem mais sofisticados – como algoritmos que fazem indicações terapêuticas, previsão de efeitos colaterais e auxiliar em novas formulações. 

Separamos uma lista de 10 empresas que estão fazendo um trabalho bem bacana com Inteligência Artificial, principalmente em parcerias com startups. Confira:

BASF

  • Machine Learning for Pharmaceutical Discovery and Synthesis Consortium (MLDPS): a BASF é membro do MLDPS, que é uma colaboração com o MIT para desenvolver software para automatizar a descoberta e síntese de pequenas moléculas.

Genentech

  • A Genentech e a controladora Roche divulgaram um projeto de análise preditiva com um artigo na Nature sobre o uso de Deep Learning, para prever quais pacientes com retinopatia diabética terão melhor progresso.
  • A Genentech e a startup de medicina de precisão GNS Healthcare estão formando uma parceria para encontrar e validar possíveis alvos de medicamentos contra o câncer, analisando dados de fontes como registros médicos eletrônicos e sequenciamento da próxima geração. 

Bayer

  • Alliance for Artificial Intelligence in Healthcare (AAIH): a Evotec anunciou uma colaboração inicial com a Exscientia em abril de 2016 e um investimento em setembro de 2017. A parceria concentra-se na criação de terapias biespecíficas de imuno-oncologia de pequenas moléculas. Estes são tratamentos que podem atingir dois alvos diferentes de câncer simultaneamente. 
  • A Cyclica foi incluída no programa Grants4Apps da Bayer e, em novembro de 2018, anunciou que a empresa estava usando sua tecnologia para previsão de propriedades farmacocinéticas e design de drogas em vários segmentos. A Cyclica promove a descoberta de medicamentos por meio de uma rede integrada de Inteligência Artificial e de tecnologias baseadas em nuvem.
  • A Genpact trabalhou com a Bayer para aplicar IA à farmacovigilância. A tecnologia da Genpact extrai automaticamente dados de eventos adversos dos documentos de origem. 
  • A Bayer também é membro do MLDPS, que é uma colaboração com o MIT para desenvolver software para automatizar a descoberta e síntese de pequenas moléculas. 
  • Além disso, Bayer e Sensyne estão colaborando para desenvolver tratamentos para doenças cardiovasculares. A Sensyne tem uma parceria exclusiva com o NHS para alavancar seus dados de registros eletrônicos do paciente, protegendo a privacidade do paciente. Os parceiros também estabeleceram o projeto “LifeHub”, focado em radiologia e imagem habilitadas para IA. A Sensyne Health assina acordo de colaboração com a Bayer para acelerar o desenvolvimento de novos tratamentos para doenças cardiovasculares usando Inteligência Artificial clínica”, 

Janssen

  • Em novembro de 2016, a Janssen anunciou que a BenevolentAI licenciaria o direito de desenvolver, fabricar e comercializar medicamentos em estágio clínico depois de usar Inteligência Artificial para identificar o potencial inexplorado no portfólio da Janssen. A BenevolentAI lançou um estudo de fase 2b para tratar a sonolência em pessoas com doença de Parkinson. 
  • Além das colaborações para o desenvolvimento de novos medicamentos, a Janssen também está aplicando IA em ensaios clínicos. Em julho de 2019, a Celsius Therapeutics anunciou uma parceria para usar sua plataforma genômica celular e de Machine Learning para encontrar biomarcadores preditivos de resposta no estudo VEGA da Janssen sobre golimumabe e guselkumabe em pacientes com colite ulcerativa. 
  • A Janssen é membro do projeto MELLODDY, que treinará modelos de Machine Learning em conjuntos de dados de vários parceiros, garantindo a privacidade de cada um.

Nestlé

Embora não seja uma empresa farmacêutica tradicional, a Nestlé tem uma divisão de ciências da saúde. O objetivo é promover a nutrição como terapia. Em fevereiro de 2018, a Nestlé anunciou uma parceria com a Nuritas para usar Inteligência Artificial para descobrir peptídeos terapêuticos em alimentos 

Novartis

  • A Novartis usa o IBM Watson para melhorar o recrutamento de ensaios clínicos e o uso de um “córtex digital” para prever a eficácia da medicação.
  • A Novartis é membro do projeto MELLODDY, que treinará modelos de Machine Learning em conjuntos de dados de vários parceiros, garantindo a privacidade de cada um.
  • Machine Learning for Pharmaceutical Discovery and Synthesis Consortium (MLDPS): a Novartis é membro do MLDPS, que é uma colaboração com o MIT para desenvolver software para automatizar a descoberta e síntese de pequenas moléculas. 
  • Em setembro de 2019, a Novartis anunciou uma mudança significativa para consolidar novas tecnologias em seus negócios: parceria com a Microsoft e criação de um laboratório de inovação em IA. A parceria inicialmente se concentrará em terapias personalizadas para degeneração macular, terapia celular e genética e design de medicamentos. 

Pfizer

  • Em abril de 2019, o Concerto HealthAI anunciou uma parceria com a Pfizer para usar IA e dados do mundo real em oncologia. A parceria visa encontrar insights acionáveis ​​para as terapias de investigação e comercialização da Pfizer para tumores sólidos e neoplasias hematológicas.
  • Em janeiro de 2019, a CytoReason anunciou uma parceria com a Pfizer. A tecnologia da CytoReason usa Machine Learning para entender como as células respondem a doenças e tratamentos. Em trabalhos anteriores, a startup descobriu novos players celulares no melanoma, novos mecanismos de ação na dermatite atópica e novos biomarcadores de pré-tratamento na terapia anti-TNFα da doença inflamatória intestinal. O CytoReason padronizará e organizará os dados da Pfizer e os integrará a um modelo de sistema imunológico específico da Pfizer. 
  • A Pfizer é uma das poucas empresas a promover publicamente uma parceria de descoberta de medicamentos usando o IBM Watson. Em dezembro de 2016, a Pfizer e a IBM anunciaram uma parceria para acelerar a descoberta de medicamentos em imuno-oncologia. 
  • A Pfizer é membro do MLDPS, que é uma colaboração com o MIT para desenvolver software para automatizar a descoberta e síntese de pequenas moléculas. 
  • A Pfizer também anunciou uma parceria com a XtalPi para combinar mecânica quântica e Machine Learning para prever as propriedades dos medicamentos. 

Roche

A Roche também é uma das poucas empresas farmacêuticas que divulgam trabalhos com o IBM Watson Health. A Roche trabalhou com a IBM em um estudo publicado em janeiro de 2019, usando dados do mundo real para prever doença renal crônica em pacientes com diabetes.

AstraZeneca

  • BenevolentAI: a parceria se concentrará em novos medicamentos para doença renal crônica e fibrose pulmonar idiopática. 
  • Em dezembro de 2019, a Gatehouse Bio anunciou uma parceria com a AstraZeneca para explorar a identificação de novos alvos para doenças respiratórias e cardiovasculares usando sua plataforma baseada em IA. A Gatehouse usa a IA para identificar novas assinaturas de RNA e vias moleculares correlacionadas com a doença potencialmente causadora. 
  • A AstraZeneca é membro do projeto MELLODDY, que treinará modelos de Machine Learning em conjuntos de dados de vários parceiros, garantindo a privacidade de cada um.
  • A AstraZeneca está colaborando com a Schrödinger para implantar sua plataforma de design de medicamentos, que combina modelagem baseada Machine Learning, para identificar novos candidatos terapêuticos e melhorar a probabilidade de que compostos sintetizados tenham propriedades desejadas.

Boehringer Ingelheim

  • Em dezembro de 2019, a Healx anunciou uma parceria com a BI para descobrir novas abordagens de tratamento para doenças neurológicas raras.
  • A BI é um membro do projeto MELLODDY, que treinará modelos de Machine Learning em conjuntos de dados de vários parceiros, garantindo a privacidade de cada um.
  • A BI usará a plataforma “Totally Integrated Medicines Engine” de Nanna Therapeutics para identificar novos compostos principais de moléculas pequenas.